O que fazemos

O que fazemos

De acordo com a ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais), o Brasil lidera há mais de uma década o ranking de assassinatos a pessoas transvestigêneres no mundo. Além disso, é de conhecimento geral que a violência estrutural contra pessoas trans é responsável por sua expulsão das escolas, das famílias e dos empregos formais, marginalizando suas vidas e lhes garantindo uma expectativa de vida de apenas 35 anos. Hoje em dia, diante da falta de perspectivas, 90% das mulheres trans e travestis no Brasil tem como fonte principal de renda a prostituição; e os índices de suicídio entre homens trans e transmasculines aumentam de forma preocupante.

É partindo dessa realidade por nós conhecida de perto, que a Casa Chama atua no sentido de promover acolhimento, dignidade e afeto a população transvestigêneres no Brasil. A transfobia mata diariamente, mas a nossa articulação é capaz de potencializar vidas e consequentemente subverter esse cenário.

Com as nossas muitas frentes de atuação, desejamos interferir positivamente na vida des acolhides, garantindo alternativas, autonomia e qualidade de vida. Construímos espaços que se contrapõem à invisibilização e ao descaso do Estado, através das redes de apoio e articulação para garantir saúde, emprego, moradia, alimentação e cultura à nossa comunidade.

Para saber massa sobre a atuação de cada frente e como ser acolhide ou aliade de alguma delas basta acessar as páginas:

Assessoria Jurídica (inserir hiperlink)

Atendimentos de Saúde (inserir hiperlink)

Apoio Emergencial COVID-19 (inserir hiperlink)

Produção Cultural (inserir hiperlink)

Assessoria jurídica

A nossa frente de assessoria jurídica é construída através da parceria com advogades voluntáries, tendo como foco principal a retificação de nome e de gênero na documentação, mas também atuando com outras demandas judiciais das pessoas acolhidas.

Apesar da recente conquista do movimento trans pelo direito à retificação do registro civil, esse é um processo bastante burocrático e de custo elevado – envolvendo cartórios e órgãos públicos. Por isso, desenvolvemos o projeto de assessoria jurídica associado ao apadrinhamento financeiro, que consiste no patrocínio direto de terceires (padrinhos e madrinhas) para arcar com os custos da retificação.

Até o fim de 2020, atendemos 70 demandas judiciais gerais: assessorando com questões relacionadas a aluguel, violência doméstica, acompanhamento em delegacias e denúncias ao Ministério Público. Além disso, concluímos 21 retificações e existem 25 em andamento. No entanto, a demanda é muito alta e já temos 100 pessoas na fila de espera para conseguir a garantia de seu direito básico ao nome retificado.

Considerando essa alta procura por apoio judicial, a Casa Chama segue convocando pessoas interessadas em colaborar com essa frente. Se você tem atua em alguma área do Direito e deseja fortalecer a luta por direitos da população trans, baste preencher um formulário para ser advogade aliade clicando aqui.

Atendimentos de saúde

Clínica Geral e Saúde Integral

Uma das nossas principais frentes de atuação é fruto de uma articulação junto a profissionais do Centro de Saúde Escola Barra Funda, unidade do SUS localizada na Zona Oeste de São Paulo. Iniciado em 2019, o projeto consiste em proporcionar um atendimento de saúde completo, digno e gratuito para a população trans, através de acompanhamento médico continuado.

A Casa Chama é responsável por desenvolver um modelo de atendimento qualificado, que passa pela sensibilização e capacitação de profissionais do Centro, bem como pelo agendamento e organização de consultas.

Constatamos um total descaso estrutural na garantia do direito à saúde às pessoas transvestigêneres, por isso, oferecemos um acompanhamento clínico especializado que abrange também a terapia hormonal e prevenção/tratamento de HIV e outras ISTs (Infecções Sexualmente Transmissiveis). Recentemente também iniciamos o atendimento gratuito de fonoaudiologia junto ao Centro de Saúde com parte das pessoas atendidas.

Até o início de 2021, foram atendidas 80 pessoas por mês, alcançando um total de 250 pessoas trans em acompanhamento. Diante da crescente demanda, seguimos em articulação com outros ambulatórios para expandir esse modelo e conseguir acolher mais gente.

Para interessades em agendar atendimentos, basta entrar em contato pelo Whatsapp através do número: +55 11 93747-6868.

Núcleo de Atendimento Psicológico

No início de 2020, fundamos o Núcleo de Atendimento Psicológico, em parceria com profissionais aliados desenvolvemos um projeto de acompanhamento continuado de parte das nossas acolhides. Essa frente conta com encontros semanais para discussão dos casos e um grupo de estudos que visa desenvolver um tratamento cuidadoso e especializado.

O núcleo está em processo de estruturação visando construir um dispositivo de atendimento em grupo, a fim de atender mais pessoas. Para interessades em participar das sessões de terapia em grupo, basta enviar um e-mail para casachamapsi@gmail.com.

Também estamos elaborando um curso de capacitação para o acolhimento de pessoas trans, com duração de um ano e com o objetivo de expandir nossa rede de profissionais da psicologia aliades. Em breve mais informações.

Apoio emergencial COVID-19

Diante da situação de extrema vulnerabilidade social imposta à população trans, compreendemos a necessidade de também garantir auxílio financeiro e alimentar para a nossa sobrevivência com dignidade e autonomia. A partir do agravamento dessa situação com a pandemia do COVID-19 criamos um Fundo Emergencial para doações voltadas ao apoio das nossas acolhides nesse momento, com isso conseguimos distribuir centenas de cestas básicas, máscaras de proteção, kits de redução de danos, de saúde e de higiene, além de garantir auxílio moradia para acolhides em situação crítica.

Com essa frente, mais de 900 pessoas foram beneficiadas por algum dos auxílios entre o período de março a dezembro de 2020, inclusive pessoas de ONGs parceiras. Nesse período o número de pessoas assistidas por nós diretamente dobrou, chegando ao número de 325 acolhides. Entre elas, 70 receberam auxílio moradia para garantir o pagamento de seus aluguéis, prevenindo inclusive situações de despejo.

Foram distribuídas mais de 2 mil cestas básicas, incluindo aquisições da Casa Chama e doações; e 180 mil itens de higiene pessoal doados pela Pantene foram distribuídos com auxílio de outras 40 ONGs e casas de acolhidas, localizadas em São Paulo.

Além disso, temos realizado o encaminhamento de pessoas transvestigêneres em situação de extrema vulnerabilidade para acolhimento de moradia em organizações parceiras. Por fim, também iniciamos um projeto de auxílio jurídico e econômico para pessoas em situação de privação de liberdade, sendo a expansão desse tipo de assistência um objetivo importante da nossa organização.

Produção cultural

A frente de produção cultural é um dos principais alicerces da nossa organização, sendo através dela que alcançamos milhares de pessoas em todo o Brasil, e também internacionalmente. Acreditamos muito no poder da cultura como uma ferramenta política de denúncia e inclusão das corpas trans, sendo parte da nossa prática o fortalecimento constante de artistas trans e de suas produções.

Em 2018, aprovamos nosso primeiro projeto no edital VAI 1, da Prefeitura de São Paulo, com o tema “Cultura e Redução de Danos”, onde promovemos rodas de diálogo, pocket shows e performances em nossa antiga sede, localizada na Zona Oeste da cidade de São Paulo.

Nesse mesmo ano, realizamos o sonho de produzir o primeiro Chama Festival: TRANS/versalidades, onde promovemos nossa atuação enquanto organização, além de fomentar o trabalho de tantas artistas que admiramos e fazem parte da nossa história. O evento reuniu centenas de pessoas trans e cis aliades no tradicional Teatro Oficina, em rodas de conversa, shows e performances dentro de uma programação de onde todas as atrações eram pessoas trans. Por conta do sucesso do festival, já estamos produzindo duas novas edições para 2021. Para saber mais sobre o Chama Festival clique aqui (hiperlink direciona pra aba do festival).

Em 2020, diante da pandemia do COVID-19, nós reforçamos nossa atuação nas redes sociais com ações de informação, educação e difusão de conhecimentos. Realizamos mais de 80 lives com convidades falando sobre diversos temas relacionados à experiência de vida de pessoas trans, além de termos participado de palestras em universidades e organizações parceiras conscientizando sobre nossa pauta e nossas vidas.

Através da nossa atuação forte nas redes, principalmente no Instagram, iniciamos um projeto, a convite do canal Jornalistas Livres, onde entrevistamos a cada semana uma das 30 parlamentares trans, eleites em diversas cidades do Brasil em 2020. Sendo essa uma oportunidade muito importante para alinhar nossas pautas coletivas enquanto comunidade e garantir visibilidade às parlamentares transvestigêneres.

Por fim, também realizamos o acompanhamento profissional de artistas trans, colaborando financeiramente com seus projetos e construindo pontes a fim de viabilizar bolsas e residências nacionais e internacionais. No momento, estamos assessorando nove artistas de diversas linguagens e desejamos expandir esse apoio para mais pessoas.